Notícias

Polícia Civil desvenda falso sequestro de adolescente em Tabatinga

A Polícia Civil do Amazonas, por meio da Delegacia Especializada de Polícia (DEP) de Tabatinga, sob o comando da delegada Mary Anne Mendes Trovão, titular da unidade policial, desvendou na tarde de segunda-feira (12/3), caso de falso sequestro comunicado por uma adolescente de 14 anos.

(Fonte: Divulgação)

De acordo com a autoridade policial, as investigações em torno do caso tiveram início no mesmo dia em que a farsa foi descoberta, após a mãe da adolescente, acompanhada da garota, ir até a unidade policial para comunicar que a menina teria sido sequestrada na noite anterior, no bairro Tancredo Neves, em Tabatinga, município distante 1.108 quilômetros em linha reta da capital.

“Em depoimento, a adolescente informou que havia saído com a irmã da casa onde moram por volta das 21h para comprar churrasco em um estabelecimento próximo à residência. Conforme a adolescente, ela e a irmã foram abordadas por dois indivíduos que estavam em uma motocicleta e anunciaram um roubo. A irmã da adolescente teria fugido do local e, nesse momento, os elementos sequestraram a possível vítima”, explicou a delegada.

Conforme Trovão, por volta das 2h da madrugada, a vítima teria retornado pra casa, contando que havia sido sequestrada. Após tomar conhecimento do caso, a delegada solicitou exame de conjunção carnal. A vítima se recusou a realizar o exame solicitado e demonstrou nervosismo, agindo de forma alterada. Logo depois, a equipe de investigação obteve a informação de que a adolescente mantinha um relacionamento amoroso com outro adolescente, de 15 anos.

“Nos deslocamos até a residência desse adolescente, com quem a possível vítima mantinha um relacionamento amoroso e, ao conversarmos com a mãe dele, descobrimos que a garota, na verdade, teria passado a noite na casa deles. Ao ser questionada sobre a veracidade da situação, a garota acabou confessando que inventou toda a história do sequestro porque estava chateada com a própria mãe e que pretendia fugir com o companheiro”, declarou a titular da DEP.

A delegada ressaltou, ainda, que a adolescente irá responder por ato infracional análogo ao delito de comunicação falsa de crime. O fato resultou, também, na instauração de Boletim Circunstanciado de Ocorrência (BOC).

 

Comentários