Notícias

Polícia Civil recaptura fugitivo do CDPM investigado por falsidade ideológica e material

A Polícia Civil do Amazonas, por meio da equipe de investigação da Delegacia Especializada em Apuração de Atos Infracionais (Deaai), sob o comando da delegada titular da unidade policial, Elizabeth de Paula, cumpriu, na manhã desta quarta-feira (28/2), mandado de recolhimento em nome de Geibson de Sousa e Sousa, 23, fugitivo do Centro de Detenção Provisória Masculino (CDPM), onde cumpria pena, em regime fechado, pela prática de crimes distintos.

Geibson de Sousa e Sousa (Foto: Divulgação)

De acordo com a autoridade policial, Geibson foi condenado a nove anos, quatro meses e quinze dias de reclusão. O jovem estava sendo investigado pela equipe da Deaai, após se passar por menor de idade na especializada, nesta semana.

“As diligências foram iniciadas após Geibson ter sido apreendido por policiais militares da Ronda Ostensiva Cândido Mariano (Rocam), por porte ilegal de arma de fogo de uso permitido. Ele foi conduzido à delegacia, onde se passou por Jander Moraes Uchoa e afirmou ter 14 anos. Chegou, inclusive, a afirmar, que a mãe dele havia morrido e que era natural de Oriximiná, no estado do Pará”, explicou a delegada.

Na delegacia, Geibson indicou o endereço de uma suposta madrinha. A equipe da Deaai foi até a casa da mulher para apurar as informações repassadas. Ao ser questionada, ela confirmou a versão do jovem, porém, posteriormente, confessou que apenas o conhecia da igreja e que havia confirmado a história dele por pena do mesmo.

Elizabeth de Paula disse que uma suposta companheira do infrator foi até a Deaai, onde apresentou uma Certidão de Nascimento com o nome Jander Moraes Uchoa. O documento foi emitido em Oriximiná e continha dados contraditórios.

“Confrontado sobre as informações que não estavam se encaixando, o jovem acabou confirmando a verdadeira identidade. Na ocasião, informou que era fugitivo de unidade prisional, onde cumpria pena por envolvimento em roubo majorado, sequestro e roubo”, disse a delegada.

Geibson foi indiciado por falsidade ideológica e material. Após os procedimentos cabíveis na especializada, ele será reconduzido ao CDPM.

Comentários