Notícias

Polícia Civil apreende armas de fogo e notifica pessoas por crimes ambientais cometidos em comunidades da zona rural

A Polícia Civil do Amazonas, por meio da Delegacia Especializada em Crimes contra o Meio Ambiente e Urbanismo (Dema), deflagrou na manhã desta quarta-feira (06/12), a operação “Jatuarana”, que resultou em nove notificações, sendo seis pela prática de crimes ambientais e duas por posse ilegal de arma de fogo de uso permitido.

Material apreendido durante operação (Foto: Lana Honorato)

De acordo com o delegado Bruno Hitotuzi, titular da Dema, a  operação teve por objetivo combater crimes ambientais e o porte ilegal de arma de fogo, utilizadas para caça nas Comunidades Jatuarana e Bons Amigos, ambas situadas na margem esquerda do Rio Solimões, na zona rural de Manaus.

Hitotuzi ressaltou que a ação foi deflagrada após o recebimento de delações, feitas ao número (92) 99962-2340, o disque-denúncia da especializada. A operação contou com o efetivo de policiais civis lotados na Dema, Delegacia Fluvial (Deflu), militares do Exército Brasileiro (EB), agentes do Instituto de Proteção Ambiental do Amazonas (Ipaam), além de servidores da Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semmas).

Operação “Jatuarana” (Foto: Lana Honorato)

Ao longo dos trabalhos, além da posse ilegal de arma de fogo de uso permitido, foram identificados crimes ambientais distintos, como a caça ilegal de animais silvestres, pesca ilegal no período de defeso, desmatamento e uso ilegal de motosserra.

Material apreendido por pesca ilegal (Foto: Lana Honorato)

“Deflagramos a operação após recebermos inúmeras denúncias de populares que residem nessas comunidades e encontram-se incomodados com as atividades ilícitas contra o meio ambiente na região. Fomos informados sobre a prática ilegal da caça, pesca e desmatamento nessas áreas que são unidades de conservação ambiental do Exército Brasileiro”, declarou o delegado.

Conforme Hitotuzi, nove pessoas foram identificadas e notificadas pelas práticas ilegais. “Essas pessoas foram notificadas para prestarem esclarecimentos na Dema. Quatro por crime de desmatamento, três pela prática de caça e duas por posse de arma de fogo de uso permitido. Durante os trabalhos foram apreendidas duas espingardas, sendo uma calibre 20 e outra calibre 28, que estavam em residências de dois ribeirinhos”, afirmou o titular da Dema.

Operação “Jatuarana” (Foto: Lana Honorato)

Bruno Hitotuzi ressaltou que ao longo da operação as equipes orientaram os moradores daquela região sobre os crimes ambientais e as consequências para quem os cometem. A autoridade policial argumentou, também, sobre o motivo de emplacar a operação “Jatuarana” nas comunidades e auxiliar as pessoas que residem nesses locais.

“O policiamento nesses lugares não possui uma ronda ostensiva como na capital. Por esse motivo, demos início à ação com o intuito de reprimir esses tipos de crimes naquela região e, também, garantir a segurança dos moradores do local”, concluiu Hitotuzi.

Reconhecimento

A líder da comunidade Jatuarana, Maria José Amaral da Cunha, 59, destacou a importância da realização da operação naquela região. “Queremos agradecer o delegado da Dema pela vinda aqui conosco. A presença de policiais civis e órgãos competentes aqui na comunidade era um sonho não só meu, mas de todos que aqui vivem. Essa comunidade sobrevive por meio do desenvolvimento sustentável, que é muito prejudicado pelo desmatamento, pela pesca ilegal e captura de animais silvestres. Todos os órgãos que vierem serão sempre bem-vindos. Estamos muito felizes e satisfeitos com o trabalho realizado na nossa comunidade”, argumentou.
 

Comentários