Notícias

Equipe da DECFS identifica furto de energia em uma empresa de reciclagem no bairro Cidade de Deus

A Polícia Civil do Amazonas, por meio da equipe de investigação da Delegacia Especializada em Combate ao Furto de Energia, Água, Gás e Serviços de Telecomunicações (DECFS), sob o comando do delegado titular da unidade policial, Felipe Vasconcelos Dias, identificou na manhã desta sexta-feira, dia 31, por volta das 10h, furto de energia em uma empresa de reciclagem situada na Comunidade Valparaíso, bairro Cidade de Deus, zona Norte da capital.

Empresa de reciclagem situada na Comunidade Valparaíso (Foto: Divulgação)

De acordo com a autoridade policial, a ação contou com o apoio de funcionários da Eletrobras Amazonas Energia e peritos do Instituto de Criminalística (IC) da Secretaria de Estado de Segurança Pública do Amazonas (SSP-AM). As equipes chegaram até o local após denúncia formalizada por representantes da concessionária de energia. 

“Ao chegarmos no endereço identificamos que a empresa estava sendo abastecida de duas formas. Por meio de um transformador irregular, pois o proprietário é cliente de baixa tensão e estava com o transformador ligado em média tensão, sem ter projeto aprovado pela concessionária, além de uma ligação clandestina”, explicou Felipe Vasconcelos Dias.

Funcionários da Eletrobras Amazonas Energia e peritos do Instituto de Criminalística (IC) da Secretaria de Estado de Segurança Pública do Amazonas (SSP-AM) (Foto: Divulgação)

Conforme o delegado, após os peritos do IC constatarem a irregularidade, a equipe técnica da Eletrobras Amazonas Energia desfez toda a ligação clandestina e retirou o transformado irregular. O reabastecimento de energia da empresa será normalizado depois que os responsáveis pelo empreendimento se adequarem aos padrões técnicos do fornecimento do serviço junto a concessionária.

Equipe técnica da Eletrobras Amazonas Energia (Foto: Divulgação)

A autoridade policial ressaltou, ainda, que todo maquinário encontrado na empresa, tanto para utilização de c, utilizava ligação clandestina, gerando um prejuízo mensal à concessionária em torno de R$ 20 mil. “Foi mais uma ação bem sucedida da DECFS. Além do desfio comprovado, identificamos que a empresa não atendia aos padrões mínimos de segurança, como uso de Equipamentos de Proteção Individual (EPIs) pelos funcionários.  Vamos encaminhar essa denúncia ao Ministério do Trabalho”, disse.

Produção de material plástico (Foto: Divulgação)

O proprietário da empresa não estava no local no momento da ação. Ele foi identificado e notificado para comparecer ao prédio da DECFS, onde será interrogado e indiciado por furto de energia.  Felipe Dias declarou que ao longo deste mês de março as operações da DECFS identificaram furtos de água e energia que, se somados, ultrapassam R$ 600 mil em prejuízos às respectivas concessionárias.

Comentários