Notícias

Equipe da DEHS prende autor de latrocínio que teve idoso como vítima na zona Oeste

Juan Valério, delegado titular da DEHS (Foto: Erlon Rodrigues)

A Polícia Civil do Amazonas, por meio da equipe de investigação da Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS), cumpriu na tarde do último sábado, dia 18, por volta das 16h, na Comunidade Parque Riachuelo, zona Oeste da capital, mandado de prisão temporária em nome do servente de pedreiro Alan Junior Costa Valente, 34, autor de latrocínio que teve como vítima o idoso Wagner Campos Wolter, que tinha 61 anos e era vizinho do infrator. Alan foi apresentado na manhã desta sexta-feira, dia 24, durante coletiva de imprensa realizada às 9h30, no prédio da especializada, na zona Leste da cidade.

Alan Junior Costa Valente (Foto: Erlon Rodrigues)

Conforme o delegado titular da DEHS, Juan Valério, o crime ocorreu no dia 27 de maio de 2016, por volta de 1h, na casa onde a vítima morava, situada na Rua Xapuri, primeira etapa da Comunidade Parque Riachuelo, bairro Tarumã, zona Oeste. As equipes da especializada chegaram até o infrator após uma testemunha informar que antes do latrocínio pelo menos cinco homens consumiam drogas naquela área e, depois do crime, não apareceram mais.  Então, após minucioso trabalho de investigação, Alan foi interceptado em via pública. A ordem judicial em nome dele foi expedida no dia 20 de janeiro deste ano, pelo juiz Eliezer Fernandes Júnior, do Plantão Criminal. 

“Uns dias antes do delito um homem falou para Alan que a vítima teria dinheiro guardado, referente a venda de um terreno, e que tinha interesse em pegar esse dinheiro. Alan, que era vizinho de Wagner e conhecia o idoso desde que tinha sete anos, concordou em executar o delito e convidou mais um indivíduo para cometer o crime, porém este segundo elemento se recusou a participar da ação criminosa, alegando que a vítima era querida na região. No dia 27, por volta das 20h, Alan e o homem que passou a informação sobre a existência do dinheiro se encontram na Rua Xapuri, porém o informante resolveu não participar mais do crime e deixou o local. Alan foi para casa onde morava, consumiu bebidas alcoólicas até 1h e em seguida resolveu cometer o ato criminoso sozinho”, explicou Valério.

Alan foi indiciado por latrocínio (Foto: Erlon Rodrigues)

De acordo com a autoridade policial, Alan subiu no telhado da residência em que o idoso morava, removeu uma telha, entrou no imóvel pelo forro e começou a procurar o dinheiro. A vítima, que estava dormindo, acordou após ouvir uma movimentação no interior da casa. O infrator e o idoso travaram luta corporal e a vítima acabou batendo a cabeça na parede, ficando desacordada. Em seguida Alan aproveitou para amarrar e torturar Wagner.

“No primeiro momento nossa equipe de investigação não descartou a possibilidade de se tratar de um caso de execução, pelas circunstâncias em que o corpo do idoso foi encontrado. Entretanto, durante as diligências, constatamos, de fato, que havia sido latrocínio. Alan informou, em depoimento, que após amarrar o idoso, continuou as buscas por dinheiro pela casa. Após encontrar R$ 50, deixou o imóvel pela porta da frente e gastou o dinheiro da vítima com bebida alcoólica”, esclareceu Juan Valério.

O titular da DEHS afirmou, ao longo da coletiva de imprensa, que Alan foi indiciado por latrocínio e o mandado de prisão temporária será convertido em prisão preventiva. Na especializada, após consulta ao Sistema Integrado de Segurança Pública (Sisp), foi constatado que o infrator já tinha passagem pela polícia por posse de arma de fogo de uso restrito. Ao término dos procedimentos cabíveis realizados na especializada, o infrator será encaminhado ao Centro de Detenção Provisória Masculino (CDPM).

Comentários