Notícias

Polícia Civil prende dupla que ofereceu dinheiro e Hilux a delegado de polícia de Humaitá

A Polícia Civil do Amazonas, por meio da Delegacia Interativa de Polícia (DIP) de Humaitá, prendeu, em flagrante, na noite da última sexta-feira, dia 29, por volta das 23h30, Mauro Jorge da Silva, 48, conhecido como “Belo” e o filho dele, Ráferson Santos Silva, 25, conhecido como “Neném”, envolvidos em corrupção ativa. A prisão ocorreu no Km 180, Rodovia Transamazônica (BR 230), no Distrito de Santo Antônio do Matupi, no estado do Amazonas.

Mauro Jorge da Silva, 48, conhecido como “Belo” e o filho dele, Ráferson Santos Silva, 25, conhecido como “Neném”. (Foto: Divulgação)


Conforme o delegado titular da DIP, Marcus Rezende, a detenção dos dois homens ocorreu em virtude de uma minuciosa apuração investigativa que teve início por suspeitas levantadas pela própria autoridade policial.

Delegado titular da DIP, Marcus Rezende. (Foto: Divulgação)

“No dia 28 de janeiro estava voltando de uma missão em Apuí, quando avistei um casebre na Rodovia Transamazônica com dois carros novos estacionados. Ao realizar uma abordagem, tive acesso aos documentos dos veículos e enviei para a Polícia Rodoviária Federal de Porto Velho para análise da documentação, então fui informado que um dos carros estava com inconsistência documental. Em seguida, levei os veículos até Humaitá para que fossem feitos os procedimentos de averiguação”, explicou.

Mauro Jorge da Silva, 48, conhecido como “Belo” e o filho dele, Ráferson Santos Silva, 25, conhecido como “Neném”. (Foto: Divulgação)


Ainda de acordo com a autoridade policial, a Polícia Civil fez um levantamento sobre o nome dos autores e identificou muitas reportagens que citavam a dupla como procurada pela prática do crime de estelionato, no estado do Pará.

“Mediante a esses fatos acerca do envolvimento deles em crimes, conduzi ambos para prestarem depoimentos. Após isso constatei que os dois homens iriam empreender fugar, pois ao voltar no dia seguinte, 29, ao local onde os carros foram apreendidos, encontramos Ráferson dormindo em um hotel e Mauro dormindo em outra casa, com os veículos deles abastecidos e com malas prontas dentro dos carros”, disse.

Carro encontrado com a dupla. (Foto: Divulgação)


Ao ser presa, a dupla ofereceu dinheiro ao delegado para serem liberados e, por esse motivo, eles foram presos por corrupção ativa e conduzidos à delegacia para os procedimentos cabíveis. Na DIP, os homens tentaram mais uma vez subornar a autoridade policial, pois ofereceram a ele um carro modelo Hilux, em troca da liberdade de Mauro e Ráferson.

Carro oferecido ao delegado por Mauro Jorge da Silva, 48 ao delegado. (Foto: Divulgação)

“Eu respondi a eles que não sou corrupto, pois estudei para ganhar dinheiro com meu trabalho de forma honesta. Não tem acerto comigo, eu não tenho preço, tenho valor”, afirmou a autoridade policial.
 
Ao entrar em contato com o delegado titular da Delegacia de Polícia Civil de Santana do Araguaia, no estado do Pará, Alberone Miranda, Rezende soube que a Polícia Civil do Pará havia feito o pedido de prisão preventiva dos dois homens, os quais deram um prejuízo de mais de um milhão e meio de reais a produtores da cidade de Santana do Araguaia.

De acordo com o inquérito policial presidido pelo delegado Alberone Miranda, pai e filho se estabeleceram na região como compradores de gado e pagavam de forma correta os rebanhos adquiridos dos produtores. “Depois de um tempo estabelecido e de terem ganho a confiança dos pecuaristas, os infratores emitiram mais de um milhão e meio de reais em cheques sem fundo, e com isso conseguiram comprar gado, comercializar veículos e também propriedades rurais. Em seguida, eles fugiram com todo o lucro obtido e deixaram a cidade com um prejuízo milionário”, explicou Alberone em reportagem veiculada na internet em 2015.

Os autores eram considerados foragidos da Justiça no Pará e estavam sendo procurados desde agosto de 2015.

Diante dos fatos, Mauro e Ráferson foram indiciados pelo crime de corrupção ativa e serão encaminhados à unidade prisional do município de Humaitá, onde permanecerão à disposição da Justiça.

Comentários