Notícias

Polícia Civil do Amazonas informa sobre a nova atualização do Pix e o seu Mecanismo Especial de Devolução

O novo mecanismo foi criado em razão de diversos golpes que eram realizados

Com inúmeros casos de golpes envolvendo o método de transição bancária rápida, o Pix, a Policia Civil do Amazonas (PC-AM), por meio da Delegacia Especializada em Repressão a Crimes Cibernéticos (Dercc), informa sobre a nova atualização realizada pelo Banco Central (Bacen), que trouxe um novo mecanismo para as devoluções em casos de golpes ou em situações em que os indivíduos sintam-se lesados.

A partir de agora, caso a pessoa realize a transação via Pix e, posteriormente, perceba que está sendo vítima de um golpe, a mesma pode notificar sua agencia bancária, explicando que pode estar sofrendo uma tentativa de um crime e, em seguida, a agência entrará em contato com a pessoa que recebeu a transferência.

De acordo com o delegado Reinaldo Figueira, titular da Dercc, na instituição bancária do destinatário, após ser feita a denúncia do possível crime, será realizada o bloqueio da conta com o valor que o indivíduo havia recebido. Logo será iniciado um processo de investigação para verificar se a quantia é fruto de um golpe, e caso seja confirmado, haverá um prazo de até 11 dias para que estorno do valor seja realizado para o banco de origem.

“As pessoas devem agir com cautela em determinadas situações, por exemplo, ao receberem via aplicativo de mensagens instantâneas ou redes sociais, mensagens de familiares ou amigos próximos pedindo dinheiro, sempre procure ter certeza que de fato são pessoas conhecidas”, explicou o delegado.

Orientação - A autoridade policial orienta ainda que, no caso das redes sociais, é importante estar atento aos detalhes das páginas em que se deseja realizar alguma compra, tento em vista que em alguns casos, o valor oferecido é muito inferior ao que de fato vale o objeto em questão, normalmente as pessoas que oferecem esse tipo de produto são golpistas e a transação do valor para o pagamento é via Pix.

“Os trabalhos policiais serão facilitados com o auxílio das instituições bancárias, pois as investigações internas dos próprios bancos, acabam acelerando ainda mais os trabalhos policiais. Com isso, é possível obter informações sobre indivíduos e até mesmo encontrar possíveis quadrilhas que realizam esses tipos de crimes. Favorecendo assim, os nossos serviços sobre possíveis ocorrências e dificultando as ações dos golpistas”, ressalta Figueira.

Registro da ocorrência - Em casos de crimes ocorridos no âmbito virtual, as pessoas podem se dirigir a Dercc, localizada na dependências da Delegacia Geral (DG), na avenida Pedro Teixeira, bairro Dom Pedro, zona centro-oeste da capital, ou registrar por meio da Delegacia Virtual (Devir), no endereço eletrônico: https://delegaciavirtual.sinesp.gov.br/portal/, e anexar provas como: prints, boletos e outros documentos.

 

Comentários