Notícias

Polícia Civil prende homem que agrediu, injuriou e ameaçou a própria companheira, na zona norte de Manaus

As equipes da Delegacia Especializada em Crimes contra a Mulher (DECCM) das zonas norte e leste da capital, prenderam, em flagrante, na manhã da última quarta-feira (24/06), por volta das 9h, um homem de 47 anos, por ter agredido fisicamente, injuriado e ameaçado a própria companheira, uma mulher de 40 anos. O fato ocorreu na madrugada da mesma data da prisão, por volta de 1h, na residência do casal, situada no bairro Cidade de Deus, zona norte de Manaus.

De acordo com adelegada Wagna Costa, delegada Wagna Costa, na ocasião das agressões, o infrator havia consumido bebidas alcoólicas, quando começou a desferir murros e golpes de barra de ferro contra sua companheira, sem nenhum motivo. No momento em que sofreu as agressões, a vítima chegou a desmaiar, e, ao acordar entre ameaças e xingamentos, correu para a rua, onde foi socorrida por uma vizinha.

Delegada Wagna Costa, delegada Wagna Costa. (Foto: Erlon Rodrigues/PCAM)

“A vítima chegou à unidade policial por volta das 8h, com muitos hematomas pelo corpo, e declarou que só não denunciou o companheiro ainda na madrugada, porque estava desnorteada, em virtude das agressões que sofreu. Assim que a denúncia foi formalizada, a nossa equipe saiu em diligências para localizar o paradeiro do infrator”, explicou a delegada Wagna.

Segundo a autoridade policial, o indivíduo foi encontrado na casa de um conhecido, localizada no mesmo bairro e zona em que os crimes foram cometidos. A delegada informou que o casal manteve, ao longo de 19 anos, um relacionamento marcado por agressões cometidas por parte do infrator.

Procedimentos – Conduzido ao prédio da DECCM das zonas norte e leste, o indivíduo foi autuado em flagrante por lesão corporal, injúria e ameaça, no âmbito da violência doméstica. Após passar por audiência de custódia e ter a prisão em flagrante convertida para prisão preventiva, o infrator permanecerá recluso em uma unidade prisional da capital à disposição da Justiça.

 

 

Comentários