Notícias

Polícia Civil prende homem investigado por estupro no bairro Compensa

Na manhã desta terça-feira (28/04), policiais civis da 4ª Seccional Oeste e 20° Distrito Integrado de Polícia (DIP), sob a coordenação dos delegados Rodrigo Barreto e Rafael Cordeiro, respectivamente, titulares das unidades policiais, deflagraram ação policial, que resultou no cumprimento de mandado de prisão preventiva em nome de Natalino Pedrosa Ipi, 35, por estuprar uma adolescente de 17 anos, e duas jovens de 18 e 20. Os crimes aconteceram nos dias 13 e 27 de março e no dia 2 de abril deste ano.

Conforme o delegado Rafael Cordeiro, o primeiro estupro ocorreu no dia 13 de março, quando o infrator se passou por mototaxista e abusou sexualmente de uma jovem de 18 anos. O delegado explicou que nos dois outros casos, o indivíduo agiu de forma parecida, ele atraiu uma adolescente de 17, e uma jovem venezuelana de 20 anos, para uma suposta vaga de emprego, porém, ao chegarem ao local combinado, o infrator falava que as vagas haviam sido esgotadas, e então, se oferecia para levar às vítimas para casa, mas aproveitava para passar por uma área de mata, onde consumava o ato sexual.

“Após tomarmos conhecimento dos delitos, iniciamos as investigações e constatamos que Natalino já possuía três Boletins de Ocorrências (BOs) pelo crime de estelionato, dois de apropriação indébita de veículos e um por furto. Ele também já responde a processos na Justiça por crimes como roubo, furto, receptação e estupro”, explicou o titular do 20° DIP.

Prisão - Durante diligências realizadas na manhã de hoje, conseguimos localizar e prender o indivíduo, no momento em que estava saindo do estacionamento de um supermercado, localizado na avenida Brasil, bairro Compensa, zona oeste de Manaus.

O mandado de prisão em nome do infrator foi expedido no dia 24 de abril deste ano, pelo juiz James de Oliveira dos Santos, da Central de Inquéritos.

Indiciamento - Conduzido ao prédio do 20° DIP, Natalino foi indiciado por estupro. Ao término dos procedimentos cabíveis, ele será levado para a Central de Recebimento e Triagem (CRT), onde irá passar por audiência de custódia por videoconferência.

Comentários